O artista que eu sou e o artista que eu queria ser


Olhos negros Leonardo

O artista que eu sou é tímido, eremita, avesso às badalações, anti-social. O artista que eu queria ser é superstar, adora badalações, adora aparecer em eventos e gosta que seu nome esteja sempre em evidência.

O artista que eu sou não se dedica de corpo e alma aos quadrinhos da mesma forma que se dedica ao trabalho do “mundo real”. O artista que eu queria ser só enxerga e só se dedica realmente à sua arte e todo o resto é apenas uma distração momentânea.

O artista que eu sou não consegue trabalhar muito bem sem um objetivo definido. O artista que eu queria ser cria os objetivos e sempre tem uma nova meta a ser alcançada.

O artista eu sou consegue trabalhar pesado quando é para colaborar com algum convite. O artista que eu queria ser gostaria de trabalhar duro todos os dias independentemente de ter sido convidado ou não para algum projeto.

O artista que eu sou não consegue se focar em novos trabalhos enquanto não tem ao menos alguns dos já produzidos nas mãos de algum desenhista. O artista que eu queria ser consegue produzir um trabalho atrás do outro incessantemente independente dos trabalhos já prontos estarem sendo produzidos ou não.

O artista que eu sou é muito inseguro e crítico em relação ao próprio trabalho e nunca tem certeza quando algo está bom ou não. O artista que eu queria ser tem uma confiança inabalável na qualidade de seu trabalho.

O artista que eu sou, de vez em quando, tem vontade de jogar tudo para o alto e abandonar tudo isto. O artista que eu queria ser é mais feliz e se sente realizado com sua arte.

O artista que eu sou não tem a mesma disposição que eu tinha anos atrás. O artista que eu queria ser continua jovem no espírito e na determinação.

O artista que eu sou é invejoso. O artista que eu queria ser é invejado.

O artista que eu sou é angustiado, pesado, preso em conflitos internos constantes. O artista que eu queria ser é livre, leve,solto, está se fodendo para os problemas e só quer saber de curtir a vida em toda a sua magnificência.

Espero que, algum dia, o artista que eu sou possa se encontrar com o artista que eu queria ser. Mas, se isto não acontecer, que Deus me dê forças para continuar a fazer aquilo que eu realmente amo que é contar histórias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s