A saga dAs Novas Amazonas e convocação geral

Detalhe Pág 04 - Mais intenso que a vida

Isolda por Allan Goldman

Hoje eu venho aqui para perguntar algumas coisas para vocês.

As Novas Amazonas já tem 55 páginas publicadas em nosso blog e começamos a produzir os desenhos de mais 20 páginas. Além das páginas publicadas e da hq que está em produção, já temos pelo menos mais dois outros roteiros prontos.

O trabalho de divulgação das personagens tem sido lento e tímido. Muito por minha culpa que não sou muito bom nessas coisas (Meu negócio é escrever!). mas, mesmo assim, sinto que o interesse pelas personagens vem crescendo. Tanto que eu já venho começando a pensar na publicação do material de forma impressa seja por uma editora independente ou seja por conta própria através de um financiamento coletivo.

Isto me leva a outro dilema em relação à saga das bravas guerreiras. Como fechar esses arcos quadrinísticos?

Para isso, preciso explicar rapidamente a saga das personagens até o momento.

As 3 primeiras hqs (HOMEM BOM É HOMEM MORTO, ANTIGAS HISTÓRIAS e MAIS INTENSO QUE A VIDA, MAIOR QUE A PRÓPRIA MORTE…) totalizam apenas 31 páginas e são histórias introdutorias, que apresentam as personagens e o mundo em que vivem.

A história seguinte (CÃES SELVAGENS) tem 20 páginas e realmente é onde começa a saga dAs Novas Amazonas (inclusive com a introdução de dois novos personagens masculinos que deverão ser recorrentes no futuro da série). Além disso, há uma hq curta de 4 páginas que, na verdade, apenas mostra um pouco da sobrevivência das novas amazonas mostrando elas defumando carnes. Estas duas hqs podem ser consideradas como as hqs finais do primeiro arco da série totalizando 55 páginas.

A hq que está sendo ilustrada agora (APENAS NEGÓCIOS) tem 20 páginas (A partir de agora todas as hqs seriadas das Novas Amazonas vai seguir esse padrão), é inédita e vai ter uma importância capital no futuro das personagens podendo-se afirmar que é o início de um novo arco.

Este novo arco já conta com outras duas histórias escritas (A TEMPESTADE e O FIM DAS NOVAS AMAZONAS) totalizando mais 40 páginas.

Diante de tudo isso, eu me imagino diante das seguintes opções:

  1. Publicar um álbum reunindo todas as hqs do primeiro arco das Novas Amazonas e mais a primeira hq do segundo arco (A inédita APENAS NEGÓCIOS) totalizando 75 páginas só de hq;
  2. Lançar uma revista com a primeira hq do segundo arco (A inédita APENAS NEGÓCIOS) e, posteriormente, se der, Publicar um álbum reunindo todas as hqs do primeiro arco das Novas Amazonas;

Assim sendo, eu gostaria de saber de vocês qual a melhor opção para eu publicar esse material e quem de vocês estaria disposto a contribuir (financeiramente) em uma possível campanha de financiamento coletivo?

Desde já eu agradeço realmente a todos os que deixarem suas opiniões aqui.

Não conhece ou quer saber mais sobre As Novas Amazonas? Clique aqui. E veja a galeria com as personagens aqui. Se quiser, mande uma ilustração para a gente postar na galeria.

Johnny & Mary (Página 4)

Detalhe - Johnny and Mary (Por Leo S e Marcus Rosado) Pag 04

Detalhe – Johnny and Mary (Por Leo S e Marcus Rosado) Pag 04

Johnny e Mary continuam a sua fuga alucinada contra seus ex-comparsas e se perdem na floresta. Mas parecem encontrar algo que os surpreende.

Com roteiro meu e arte de  Marcus Rosadoesta hq foi intitulada de “Johnny & Mary” e  é atualizada semanalmente. Para lê-la, clique aqui. Por favor, comentem.

Esta edição de Clássicos revisitados está esgotada mas, para conhecer e adquirir outros números desta publicação (Antes que também se esgotem) , clique nos links abaixo:

Clássicos Revisitados 2 – Monstros Noir

Clássicos Revisitados 3 – ROmance & Terror

Clássicos Revisitados 4 –  História sci-fi

Diários Italianos: Sargento Leão

Começamos a apresentar, uma a um, os personagens que compõe o  13° Grupo de Combate, da 8ª Companhia do Batalhão Uzeda, do Regimento Sampaio. Vamos começar com o líder deles. A ficha abaixo é normalmente como eu entrego para o desenhista e, como ainda não temos nenhuma ilustração oficial do personagem, repasso para vocês as informações e referências visuais que deverão nortear o desenhista.

SARGENTO LEÃO

Terceiro Sargento Leão

Nome: Guilherme Herculano Leão

Patente/Função: Terceiro Sargento, Líder do grupo de Combate (Squad leader)

Lolcalidade: Paulista de Campinas

Apelido (Ou como é conhecido): Sargento Leão

Características e Perfil psicológico: Excelente líder, corajoso, inteligente, razoável, sensível, mas duro quando precisa ser. Preocupa-se com seus homens, mas não a ponto de sacrificar toda uma missão por conta disto. Sofre com as perdas, mas é forte o suficiente para sufocar a sua dor e seguir em frente. Gosta de ler, aprecia a pintura e a música. Mas não é exatamente um intelectual. É apenas alguém que tem um gosto para as coisas belas criadas pelo homem.

Idade: 28 anos

Perfil físico: Cabelos pretos, desgrenhados, barba sempre por fazer. Lembra o ator Keanu Reeves. Tem 1,88 mts de altura sendo bem maior que a maioria dos Pracinhas brasileiros. Tem um bom porte atlético.

Passado: Vindo de família de militares, nunca teve uma opção de escolher outro caminho. Porém, gostaria mesmo de ter sido um advogado.

Motivações: As principais motivações do Sargento Leão é cumprir seu papel na guerra, acabar com o jugo nazista e cuidar de seu time. Sente-se pessoalmente responsável por cada um deles.

Habilidades/Armas: SUBMETRALHADORA THOMPSON: CALIBRE .45, PISTOLA COLT M1911, GRANADAS DE MÃO, BAIONETA

Referências Visuais: (coloque aqui imagens dos personagens ou imagens que sirvam de referência para a sua concepção)

O projeto “Diários italianos – O Brasil na segunda guerra mundial” é uma história em quadrinhos ficcional que conta as aventuras de um grupo de combate de soldados brasileiros da FEB (Força Expedicionária Brasileira) na Itália, durante a segunda guerra mundial. O projeto está na fase de revisão e à procura de um desenhista para a produção das páginas de quadrinhos.

Para acompanhar as novidades deste projeto, acesse o blog do autor (https://roteiristaleo.wordpress.com/) ou a página no facebook (https://www.facebook.com/Di%C3%A1rios-Italianos-O-Brasil-na-Segunda-Guerra-Mundial-326502687689603/)

#segundaguerramundial #segundaguerra #brasilnasegundaguerra#pracinhasdafeb #feb #forcaexpedicionariabrasileira #ww2 #worldwar2#wwii #acobravaifumar #acobrafumou #smokingsnakes

Novidades sobre o F.D.P.

“Além de uma capacidade fora do normal para irritar os outros, Fernando ainda é especialista em artes marciais nas modalidades (Ainda não reconhecidas) de chute-no-saco e dedo-no-olho.”

Esta e outras informações vocês vão poder ver na ficha do personagem que acabamos de liberar em nosso blog. Para acessar, clique aqui.

Além disso, a galeria do F.D.P. ganhou a adições de duas novas ilustrações feitas pelo artista pernambucano Glaydson Gomes com seu personagem, o chumbo grosso.

Personagens de Pernambuco Holandês: Conde de Olivares

Conde de Olivares

O Conde-duque de Olivares por Carlos Eduardo Cunha

Apesar de Governada pelo rei Filipe IV, uma das maiores influências dentro da corte era a de GASPAR DE GUZMÁN Y PIMENTEL RIBERA Y VELASCO DE TOVAR, O CONDE-DUQUE DE OLIVARES, que tinha a posição de CHEFE DO GOVERNO ESPANHOL (algo equivalente a primeiro ministro).

Hábil político com grande tato diplomático e astúcia, Olivares assume o poder Espanhol quando o infante Filipe sobe ao trono. Em sua escalada pelo poder, manda matar ou prender as figuras mais destacadas do reinado anterior e impõe um estilo de vida cheio de ostentação para si e para toda a corte espanhola através de aumentos abusivos de impostos.

Além disso, havia em Olivares uma ferrenha determinação em recuperar os países baixos, o que o fez com que ele, em 1621, acabasse com a paz de “doze anos” com a Holanda. E, por isso, é dele a missão de convocar Duarte de Albuquerque Coelho, Conde de Pernambuco, herdeiro único da capitânia de Pernambuco e seu irmão, Matias de Albuquerque, o, então,ex-capitão-mor da capitania de Pernambuco e ex-governador geral do Brasil, para uma espinhosa missão: informar sobre o possível ataque holandês às costas Brasileiras e que caberiam aos irmãos impedir o sucesso dos “hereges”.

No projeto “Pernambuco Holandês – A queda de Olinda”, você vai poder ver o encontro entre esses três homens.

“Pernambuco Holandês – A queda de Olinda”, é uma novela gráfica que mostra detalhadamente as primeiras 24 horas de luta que o exército privado holandês infligiu ao povo Pernambucano no ano de 1630 que, mesmo sem nenhum apoio da coroa espanhola , ofereceu a resistência que pode aos invasores.

O roteiro, escrito por Leonardo Santana e ilustrado e colorido por Carlos Eduardo Cunha, tem 56 páginas e faz parte de uma trilogia que se pretende contar toda a saga holandesa em Pernambuco de forma dinâmica, ágil e emocionante. O projeto está na fase de ilustração e na procura de editoras interessadas em publicar este material.

Para acompanhar as novidades a respeito deste projeto, curta a nossa página no facebook: https://www.facebook.com/pernambucoholandes/

Conheça um pouco mais sobre As Novas Amazonas lendo a hq “Antigas Histórias”

Nesta hq, Helena, a líder dAs Novas Amazonas, conta um pouco mais sobre a história do mundo em que elas vivem, um pouco sobre sua própria vida e ajuda a nova integrante do grupo a ser batizada.

Com Roteiro de Leonardo Santana e arte de Alex Barros, a hq intitulada “Antigas Histórias” é uma ótima oportunidade para conhecer um pouco mais sobre esta série que mistura ficção científica, aventura, mundo apocalíptico e ecologia.

Para ler a hq, clique aqui.

 

Antigas Histórias (Por Leo S e Alex Barros) Pag 01

As Novas Amazonas 02 – Antigas Histórias (Por Leo Santana e Alex Barros) Pag 01

As Novas Amazonas foram criadas por Leonardo Santana e Ricardo Anderson.

Quer saber mais sobre As Novas Amazonas? Clique aqui. E veja a galeria com as personagens aqui. Se quiser, mande uma ilustração para a gente postar na galeria.

Diários Italianos: um pouco mais sobre Grupos de Combate

A menor unidade bélica dentro da infantaria do exército Brasileiro era o Grupo de Combate (GC) que foi copiado do “Rifle Squad” do exército americano.

De acordo com o manual da Rifle Company de 1942, um “Rifle Squad”,compreendia, em média, de 12 homens:

  • O Sargento líder do esquadrão;
  • Um cabo que atuava como seu assistente e granadeiro com rifle anti-tanque;
  • Uma “equipe de rifle automático” composta de três homens: o homem BAR (Que carregava o B.A.R. – ), seu assistente de tiro e um porta-munições;
  • E sete fuzileiros. Destes últimos, dois foram designados como batedores (Scouts).

E em “Diários Italianos – O Brasil na Segunda Guerra Mundial” , nós acompanhamos a história do 13° Grupo de Combate, da 8ª Companhia do Batalhão Uzeda, do Regimento Sampaio.

Nós já mencionamos um pouco mais sobre esse GC aqui, incluindo o nome dos seus integrantes e suas funções. Em breve iremos falar sobre cada um destes integrantes.

O projeto “Diários italianos – O Brasil na segunda guerra mundial” é uma história em quadrinhos ficcional que conta as aventuras de um grupo de combate de soldados brasileiros da FEB (Força Expedicionária Brasileira) na Itália, durante a segunda guerra mundial. O projeto está na fase de revisão e à procura de um desenhista para a produção das páginas de quadrinhos.

Brazilian soldiers in the Gotic Line

Grupo de Combate da FEB comandado pelo Sargento Wolf

Para acompanhar as novidades deste projeto, acesse o blog do autor (https://roteiristaleo.wordpress.com/) ou a página no facebook (https://www.facebook.com/Di%C3%A1rios-Italianos-O-Brasil-na-Segunda-Guerra-Mundial-326502687689603/)

#segundaguerramundial #segundaguerra #brasilnasegundaguerra#pracinhasdafeb #feb #forcaexpedicionariabrasileira #ww2 #worldwar2#wwii #acobravaifumar #acobrafumou #smokingsnakes